Governo australiano dá um ultimato ao grupo anti-vacinas

Espalhe a notícia...Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

O governo vitoriano (estado da Austrália) está ficando seriamente preocupado sobre suas políticas de vacinação, e nesta semana anunciou que a partir de 1 Janeiro de 2016, nenhuma criança será admitida ao cuidado da criança, pré-escolar ou jardim de infância, sem serem vacinadas. Este cuidado inclui um auxílio financeiro dado aos pais.

A lei será introduzida nas próximas semanas. A ministra da Saúde, Victorian Jill Hennessy, diz que já não é direito dos pais de escolher quando essa escolha representa uma ameaça muito real de saúde pública. “Vacinas salvam vidas. Está ficando difícil tratar sobre esta questão, porque é importante que comecemos a abordar coisas como um aumento significativo das doenças em nosso país”, disse ela em um comunicado à imprensa. “Sabemos que a propagação de doenças como o sarampo está fazendo com que estes vírus se tornem mais virulentos.”

De acordo com Hennessey, no ano passado, haviam mais de 1.000 casos de tosse convulsa, em comparação com o ano anterior. “Não é apenas o interesse de uma criança, mas de todos nós”, disse ela. “Nosso objetivo não é de excluir as crianças de serviços de primeira infância. Nosso objetivo é fazer com que as pessoas fiquem imunizadas e vamos usar isso como um incentivo e um aviso.”

A política é uma tomada mais dura do governo federal australiano. Como já relatado em abril, a partir de Janeiro de 2016, os pais que se recusam a vacinar seus filhos na Austrália perderão milhares de dólares de acolhimento de crianças e benefícios sociais. Com essa onda de grupos anti-vacinação, o governo estima em 39 mil crianças não vacinadas..

De acordo com a ABC, as crianças não vacinadas em Victoria em breve serão impedidas de frequentar a escola, a menos que tenham um atestado médico.

Deixe uma resposta